Relatórios

Brazil and China facing global environmental challenges

Na sua 15ª reunião, o Grupo de Análise sobre China promoveu discussões perspicazes sobre os desafios ambientais globais compartilhados pelo Brasil e pela China, destacando temas prioritários para a cooperação bilateral no curto, médio e longo prazo, dentro e além da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Apesar do enorme potencial para cooperação bilateral em áreas que vão desde bioeconomia a cidades resilientes ao clima, os participantes consensualmente notaram a falta de estruturas bilaterais dedicadas ao desenvolvimento sustentável entre a China e o Brasil - por exemplo, a ausência de um subcomitê voltado para questões  de cooperação ambiental dentro do Comitê Sino-Brasileiro de Coordenação e Cooperação de Alto Nível (COSBAN). Em última análise, explorar melhor os cobenefícios associados à cooperação bilateral em desafios ambientais compartilhados - incluindo, mas não se restringindo às mudanças climáticas - poderia contribuir para o fortalecimento das estruturas multilaterais e da cooperação ambiental global.

Participaram da reunião como palestrantes a Conselheira do CEBRI, Izabella Teixeira; o Vice Presidente do Instituto de Ciência e Desenvolvimento da Academia Chinesa de Ciência, Wang Yi; o professor da Universidade de Tóquio, Akio Takahara; o representante do Ministério das Relações Exteriores, Marco Túlio Scarpelli Cabral; e o Gerente de Programa da China na Climate Bonds Initiative, Wenhong Xie. A comentarista do evento foi a Senior Fellow do CEBRI, Ana Toni, e a coordenadora foi a Senior Fellow, Tatiana Rosito.


Compartilhe

Na sua 15ª reunião, o Grupo de Análise sobre China promoveu discussões perspicazes sobre os desafios ambientais globais compartilhados pelo Brasil e pela China, destacando temas prioritários para a cooperação bilateral no curto, médio e longo prazo, dentro e além da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Apesar do enorme potencial para cooperação bilateral em áreas que vão desde bioeconomia a cidades resilientes ao clima, os participantes consensualmente notaram a falta de estruturas bilaterais dedicadas ao desenvolvimento sustentável entre a China e o Brasil - por exemplo, a ausência de um subcomitê voltado para questões  de cooperação ambiental dentro do Comitê Sino-Brasileiro de Coordenação e Cooperação de Alto Nível (COSBAN). Em última análise, explorar melhor os cobenefícios associados à cooperação bilateral em desafios ambientais compartilhados - incluindo, mas não se restringindo às mudanças climáticas - poderia contribuir para o fortalecimento das estruturas multilaterais e da cooperação ambiental global.

Participaram da reunião como palestrantes a Conselheira do CEBRI, Izabella Teixeira; o Vice Presidente do Instituto de Ciência e Desenvolvimento da Academia Chinesa de Ciência, Wang Yi; o professor da Universidade de Tóquio, Akio Takahara; o representante do Ministério das Relações Exteriores, Marco Túlio Scarpelli Cabral; e o Gerente de Programa da China na Climate Bonds Initiative, Wenhong Xie. A comentarista do evento foi a Senior Fellow do CEBRI, Ana Toni, e a coordenadora foi a Senior Fellow, Tatiana Rosito.


Participaram dessa publicação

Izabella Teixeira
Conselheira Emérita

Co-Chair do Painel Internacional de Recursos Naturais da ONU Meio Ambiente e ex-Ministra do Meio Ambiente

Ana Toni
Conselheira

Diretora-Executiva do Instituto Clima e Sociedade

Tatiana Rosito
Senior Fellow

Consultora Sênior do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD)

Akio Takahara
Professor de Política Chinesa Contemporânea na Universidade de Tóquio

Gabriel de Barros Torres
Analista Internacional

Wang Wi
Vice-presidente do Instituto de Ciência e Desenvolvimento da Academia Chinesa de Ciências (CAS)

Wenhong Xie
Gerente de Programa da China na Climate Bonds Initiative

EVENTO DA PUBLICAÇÃO

MAIS DO NÚCLEO

TEMAS RELACIONADOS