BOTÃO

Meu cebri Logotipo

Version EnglishENGLISH VERSION

Joaquim Levy destaca a importância da experiência canadense como exemplo para o Brasil hoje

18/01/2016

Cdn Comunicação

Rio de Janeiro, 15 de janeiro de 2016 - Como o Brasil pode superar a crise econômica e aproveitar a experiência do Canadá foram os temas abordados pelo Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) em debate promovido, hoje, com John Manley, ex-Vice Primeiro Ministro, em parceria com o Consulado Geral do Canadá no Rio de Janeiro e a Câmara de Comércio Brasil-Canadá. De Washington, o ex-Ministro Joaquim Levy mandou um vídeo em que ressalta momento importante do país, no qual se fale em decisões estratégicas.

“A experiência do Canadá é muito interessante para o Brasil. Primeiro, pela forma democrática que foi feita. Segundo, pela maneira organizada com a revisão dos gastos, sistemática entre os vários setores dentro de um ambiente de discussão democrática. E terceiro, pela efetividade. Acredito que pôr as contas em ordem foi um dos fatores que levaram a mais de 15 anos de desenvolvimento econômico e estabilidade”, destacou Levy na gravação exibida durante evento e que pode ser vista na íntegra abaixo.

O cenário econômico canadense da década de 90 levou o país a ser considerado pelo The Wall Street Journal “membro honorário do terceiro mundo”. Nessa época, Manley integrou o gabinete que reverteu o déficit do Canadá com um conjunto de medidas de austeridade, que significou cortes de gastos, desregulamentação e, inclusive, privatizações.

“Isso nos deu um período de crescimento, ajudou a baixar as taxas de juros e nos colocou em círculo vicioso positivo”, acrescentou Manley.

Isso só foi possível, segundo ele, a partir de um amplo consenso político e da habilidade do governo em comunicar, não apenas os problemas vividos, como também, as soluções que estavam buscando naquele momento. A estratégia permitiu que a sociedade apoiasse o processo das reformas implementadas.

Outro ponto fundamental destacado pelo ex-vice primeiro ministro, foi a questão do financiamento de campanha, que também passou por ampla reforma no Canada e está sendo discutido hoje no Brasil.

No Caso Canadense a contribuição de empresas em nível federal foi proibida. Ela apenas é permitida em nível provincial e mesmo assim deve respeitar tetos de contribuição equiparados ao de pessoa física.

Essa medida foi estimulada pela possibilidade de deduções no imposto de renda que podem chegar até 75%.

Rafael Benke, Presidente do Conselho Curador do CEBRI, um dos principais thinks tanks do mundo, foi o mediador do evento ao lado do Sanjeev Chowdhury, cônsul geral do Canadá no Rio de Janeiro. Winston Fritsch, do Conselho Curador do CEBRI e Rick Savone, embaixador do Canadá no Brasil também participaram do debate.

 

Fotos

 



Centro Brasileiro de Relações Internacionais